30 de novembro de 2007

6 meses depois...

Acho que não vou conseguir aguentar por muito mais tempo. "Sê forte", "Tens de ser forte pelo teu avô", frases como estas continuam vivas na minha cabeça e sem perceber bem porquê tenho-as seguido fielmente. Não percebo porque tenho de ser forte perante uma pessoa que se manifesta fria e distante junto de mim. Tenho saudades de ligar todos os dias lá para casa e, no teu passo lento lá me atendias o telefone. Por pouco que falássemos, era bom sentir-te aqui comigo. Hoje, ligo para o mesmo numero e são raras as vezes em que consigo falar com alguém. Quando consigo falar é apenas para trocar cumprimentos cordiais e para saber como estamos os dois.
Não consigo fazer mais e não consigo ser mais forte. Quero que as coisas aconteçam e quero que o meu Mundo desabe. Está mais que na hora de mostrar que me fazes falta e que tou farta disto tudo sem ti.

Vinha no comboio a olhar para o céu e perguntava-me a mim mesma se estarias a olhar para mim mas, porque estarias no Céu a olhar para mim? Devias estar aqui. Ignorei a tua doença assim, como hoje e, seis meses depois, insisto em ignorar que tenhas partido. Simplesmente, não consigo acreditar. Não quero aceitar. Há imagens que não me saem da cabeça e, as minhas insónias têm aumentado. Acordo com vontade de ir a casa do avô, subir ao teu quarto e abraçar-me ás tuas roupas. Acordo e percebo que não estás mais aqui comigo. Sabes o quanto isso dói?

Há 6 meses atrás, por esta hora, estaria sentada no sofá vermelho da sala de jantar, agarrada a manta que te acompanhou na tua doença, batenda com o pé no chão de tanto nervosismo e, com um pacote de lenços que não parecia chegar para a dôr que queria não sentir. Mantive imovél naquele sofá onde a única coisa que me apetecia fazer era dar murros na parede e gritar ao Mundo o quão injusto "Alguém" estaria a ser comigo.

Preciso de ti, por favor......

28 de novembro de 2007

Tic, Tac, Tic, Tac


O tal relógio que dizem ser Biológico já dá horas, minutos e segundos...

27 de novembro de 2007

Descobri o Tal Segredo dos Saltos Altos

Hoje acordei decidida a arriscar e a fazer figura de otária se fosse preciso. Calçei os meus sapatos com o tal salto que eu achava que se podia entalar entre as pedras do passeio. Bom, confesso que os trouxe na mala, e até á paragem do comboio levei as minhas sempre fieís sabrinas. Depois, quando cheguei ao trabalho troquei. Entrei em pânico quando chegou a hora do almoço (almoço implica sair do trabalho, onde o piso é liso e ando facilmente com saltos).... cheguei ao banco - sem problemas; cheguei aos correios - sem problemas; regressei ao trabalho - sem problemas. Conclusão: PROVA SUPERADA. Essa treta de que os saltos ficam entalados entre as pedras do passeio é balelas...... hehehehe
Na foto: os meus sapatos... os tais saltos....

26 de novembro de 2007

Aí vão eles...

Como parece que de ano para ano o Espirito do Natal chega sempre mais cedo, decidi pôr mãos-á-obra e tratar dos habituais envios natalicíos para a familia e amigos mais próximos. Fui hoje aos correios deixar cerca de 20 envelopes. Espero que gostem!
Por isso, atenção á vossa caixa do correio. Em breve irão receber um envelope igualzinho a este.

22 de novembro de 2007

Os nossos Sósias

Já tinha visto estas experiências em vários Blogues e decidi também eu procurar os meus sósias. Aqui ficam os nossos resultados. Tentei fazer o do Rocky mas, felizmente o nosso cão é Único.


Se quiserem experimentarem vão a My Heritage

O Segredo dos Saltos Altos

Tenho um drama, daqueles dramas que só eu pareço ter. Não sou muito adepta dos saltos altos, tenho uns quantos sapatos assim meio "assabrinados" e depois outros (dentro do estilo dos sapatos da foto) com um salto fininho mas, no máximo, com cerca de 2,5cm. O meu problema está em andar com eles no passeio, tenho sempre a sensação que o salto vai ficar entalado entre as pedras e eu ando e o sapato fica para trás. Imaginem a vergonha caso isto aconteça em plena hora de ponta!!?!?!??!?!
Sinto uma inveja danada das tipas que andam com saltos maiores e mais fininhos e nada lhes acontece, andam naquilo como se estivessem a andar num piso completamente liso, sem falhas, sem buracos, sem armadilhas... Enfim, há algum segredo para andar nestas coisas sem fazer figura de otária???
A minha mãe está-me sempre a dizer: "Filhota, tens 28 anos és uma mulher, devias vestir-te como tal, nem que seja só no trabalho". Pois, também concordo com ela mas, os meus tennis e as minhas sabrinas não me fazem temer os buracos dos passeios! Ok??!

21 de novembro de 2007

O medo de ir...

Este Sábado vai acontecer o almoço de Natal da empresa do Rui que, se vai realizar no Porto e, eu também vou poder ir. O ponto de encontro está marcado para as 8h30 e dali seguimos todos em autocarros alugados pela empresa. E é aqui que nasce o tal problema... com tanta trágica noticia de acidentes com autocarros de turismo já começo a ganhar um certo medo. Porém não posso deixar de apontar aqui que muitos dos acidentes que acontecem são os próprios motoristas que os provocam. Como condutora e não só, tenho visto muitas coisas que não gosto e uma delas é os malditos autocarros meterem-se á frente dos automobilistas sem qualquer aviso prévio. Porque são grandes, porque são transportes públicos acham-se donos e senhores da estrada mas, isto não é bem assim. Eu considero-me uma condutora bastante educada mas, se abusam da minha generosidade buzino logo. A verdade é que quando um autocarro quer mudar de faixa ou algo parecido não se preocupam se lá vem algum veículo, se vem depressa, se vem devagar... o que interessa é que o autocarro é grande "eles se quiserem que travem", é a tal porcaria... bateu por trás é culpado....

20 de novembro de 2007

Sorte Precisa-se

Lembrei-me que hoje pode vir a ser um dos dias mais importantes (pronto, importante também não digo mas, sim Especial) da nossa longa caminhada: se tudo correr bem e o Rui se decidir a passar neste exame que vai fazer hoje, pode finalmente, dizer Bye Bye á escola. Se passar, tem o Curso por terminado e acabaram-se as noitadas a estudar e livros para ali, e cadernos para aqui....

Boa Sorte Lindo ***

P.S. Eu também preciso de um pouco de sorte... ou sorte ou talvez um bocadinho de jeito: tenho 5 dói-dóis nas minhas mãos e todos eles feitos em menos de uma semana. Digam lá se eu não sou um autêntico desastre em movimento?!?!

17 de novembro de 2007

Os azares não acontecem só aos outros...

Se há coisa que me irrita é quando quero que tudo saia bem, pimba.... sai tudo mal. Não sou nenhum ás na cozinha, safo-me a fazer ovos estrelados, empadão, esparguete, arroz e mais umas coisitas que exijam pouco da minha sabedoria culinária. Os doces então saem-me quase sempre bem.... infelizmente, até hoje a porcaria do doce que costumo sempre fazer e sai sempre bem, hoje deu para o torto. Ao desenformar aquilo escorregou-me da mão e o resultado é meio doce inteiro, meio doce desmanchado...
Depois, aventurei-me a fazer rissóis. Fiz uma pesquisa no google e comecei a fazer a 1ª receita que me apareceu. Pelo aspecto até parecem apetitosos não concordam, quanto ao sabor deixo-vos o seguinte comentário de quem provou o 1º:
"Arghhhhhhhhhhhhhhhhhhhh".

13 de novembro de 2007

Quasi Pronti

Finalmente a nossa barraquita está quase quase pronta. Aproveitei as férias para acabar de pintar a varanda, de forma a poder receber a nossa Lolita. Sim, sim, a nossa Lolita, a nossa máquina de lavar roupa. Finalmente, acabaram-se as idas á casa da sogra e á casa do avô para deixar a roupita badalhoca a lavar. Não há nada como a nossa casinha.
Esta é a Lolita, uma Whirpool, Classe A, gasta 44litros de água por cada lavagem e é muito muito eficaz.

È com muito orgulho que partilho com vocês a foto da primeira roupita que foi lavada na Lolita.... cheira tão bem!!!!!

12 de novembro de 2007

As Patetices...


Fico feliz por o Rui ter chegado aos 30 mas continuar a fazer-me companhia nas patetices. O único senão é que engordou 5 kilos e isso já se começa a notar...

8 de novembro de 2007

Voltámos.....

Pessoal, já estamos em LISBOA!
Chegámos ontem eram 17h, viémos por causa dos treinos de futsal do Rui e do meu curso de teatro. Agora, vamos descansar um bocadinho e prometemos voltar em força e com muitas novidades muito em breve.

Beijinho a todos****

5 de novembro de 2007

A Inquestionavel Existência do Tanque

Ontem eu e o Rui tivémos uma pequena discussão, isto tudo por causa do tanque que temos na varanda... sim, sim, um tanque daqueles antigos para lavar a roupa á mão. Bom, ontem fomos a mais um passeio: Vila Real, Lamego, Guimarães e, na vinda para casa levantei este tema. Ist, porque o tanque não me faz falta porque em breve vou comprar a tão preciosa máquina de lavar roupa e se tirar dali o tanque ganho imenso espaço para arrumação que, na nossa casinha (como alguns de vocês jã conhecem) não é propriamente cheia de sitios próprios para arrumar tralha. O problema é convencer o Rui a desistir de ter o tanque na varanda. Pedi-lhe que me inumerasse 5 vantagens de termos um tanque em casa. Aqui ficam elas:
1* Dá para arrumar os meus tennis
2* Dá para dar banho ao cão
3* Dá para plantar plantas
4* Dá para lavar á mão roupa grande (ele deu o exemplo de cortinados)
5* Dá para pôr o bacalhau de molho

Enfim, estamos em pleno Séc.XXI e haja alguém que me convença este marmelo de que o Tanque já é utensilio pré-histórico!!!!


Beijinho e Obrigada *****

3 de novembro de 2007

850kms

Chega ao fim o 3º dia das nossas férias e o nosso Boguinhas já conta com quase 900kms em cima. Pobrezito, acho que lhe vou ter que mudar os sapatos ainda antes de voltar para Lisboa. Tem sido o nosso fiel companheiro e para o recompensarmos pelo esforço, fomos ontem a Salamanca atestar-lhe o depósito; aproveitámos, pois em Espanha a gasolina é mais barata 30 cêntimos. Após atestar o tanque do nosso bóile, fomos almoçar a uma tasca horrorosa em Vilar Formoso, um tal "Stop Tir". Bom, pagámos pouco mas fomos muito mal atendidos e a comida era crua e vinha fria. Adiante porque nem só de tristezas se resumem as nossas férias. Temos visitado inúmeras terrinhas aqui ao pé: já fomos a Viseu, Almeida, Fornos de Algodres (terra do meu avô Henrique), Guarda e Figueira Castelo Rodrigo.
Podem sempre ver o nosso diário fotográfico Aqui.

Por aqui nos despedimos, porque tá na hora de bebermos o nosso cházinho e cama!

Deixamos aqui um beijinho grande aos nossos grandes amigos, João e Cláudia, Ricardo, Carla e ao nosso Rocky..... sentimos saudades vossas.




P.S. Sofia Henriques..... acho que me recordo de ti, tinhas um irmão... creio que se chamava Nuno, andámos juntas na Fonseca Benevide... certo? Deixa-me o teu email para falarmos mais.

1 de novembro de 2007

Já chegámos

330kms. 3 horas.
A alvorada foi ás 6H15...fizemos as malas, arrumámos a casa e seguimos ansiosos por estarmos finalmente a gozar umas férias merecidas. Apanhámos a A1 até Aveiras e a partir daí foi sempre a andar pelas nacionais até aqui, á Abrunhosa-a-Velha.
Nós chegámos bem...
e as miúdas também.